Como planejar a construção de uma casa | Projeto Mosaico
Área do Cliente

Como planejar a construção de uma casa

O sonho da casa própria está nos planos de muitos brasileiros, inclusive, nos seus, não é? Pode acreditar, nós, da Projeto Mosaico, entendemos bem o porquê. Afinal, todo mundo quer…

By: Projeto Mosaico 01/07/2020

O sonho da casa própria está nos planos de muitos brasileiros, inclusive, nos seus, não é? Pode acreditar, nós, da Projeto Mosaico, entendemos bem o porquê. Afinal, todo mundo quer viver com mais conforto e segurança. 

Só que para isso acontecer de verdade, é preciso bastante planejamento. Desde o momento em que decidimos juntar dinheiro, até a tão esperada hora de construir a sua casa. Essa última etapa é muito importante porque é ela que separa você do seu sonho. Então, prestar atenção a todos os detalhes é essencial. 

Neste artigo, você vai aprender o passo a passo completo para planejar a construção de uma casa. O objetivo é fazer você entender esse processo para não ser pego de surpresa lá na frente.

Planejamento financeiro pessoal

Criar um planejamento financeiro pessoal é essencial para comprar um terreno e começar a construir uma casa. O primeiro passo, é entender como funcionam suas finanças pessoais e, em seguida, definir os seus objetivos de vida. 

A partir daí, com determinação e algumas mudanças de hábito, gerenciar as finanças e realizar o seu sonho de construir uma casa em condomínio fechado em Manaus fica muito mais fácil. 

Veja aqui um material exclusivo que preparamos para você com algumas dicas para fazer um planejamento financeiro pessoal.

Como planejar a construção de uma casa

Depois de se organizar financeiramente, é preciso aprender a como criar um planejamento para construir uma casa. A seguir, confira um passo a passo completo!

Passo 1 – Terreno 

Obviamente, antes de você construir a sua casa, é necessário comprar um terreno. Quem ainda está escolhendo o melhor lugar precisa avaliar alguns pontos que vão influenciar diretamente como você vai viver daqui em diante. Entre eles, a localização, as características do terreno e a possibilidade de valorização.

Na prática, isso significa que você vai ter que: 

  • Pesquisar na sua cidade, quais bairros oferecem a melhor infraestrutura para a sua família. Ou seja, quais deles são mais seguros, mais próximos de centros comerciais ou mais tranquilos. 
  • Ver com cuidado se nas redondezas existem salões de festas, bares ou indústrias que façam muito barulho. 
  • Avaliar se o terreno tem um tamanho legal para construir uma casa confortável. É preciso conferir também se ele é muito acidentado porque isso pode dificultar o serviço de terraplanagem. 
  • Considerar o quanto ele poderá valer daqui a 10, 20 ou 30 anos. Por mais que você não queira vender o terreno, é importante pensar nesse ponto, porque a gente nunca sabe o dia de amanhã.

Passo 2 – Projeto de arquitetura 

Em seguida, vem a contratação de um arquiteto ou engenheiro para elaboração do projeto. Tenha certeza que a empresa ou profissional possuam registro em uma entidade de classe, como o CREA, para garantir que são capacitados para exercer as funções para as quais estão sendo contratados. 

A nossa dica é: pesquise bastante! Sim, porque o arquiteto ou engenheiro cobram geralmente pelo tamanho da casa medido em m². E os preços do m² podem variar bastante.

É durante a criação do projeto de arquitetura que todas as atividades relacionadas à obra como o orçamento e a construção são definidas. Além disso, é nessa etapa que os futuros moradores vão ter a chance de dizer como eles querem que a casa fique. 

Caso você tenha comprado um terreno em um condomínio de lotes, ainda vai ser necessário ficar de olho nas regras específicas para construção. Essas normas servem para garantir que o condomínio fique cada vez mais bonito e valorizado no mercado, o que é muito bom, porque a sua casa passa a valer mais.

Passo 3 – Orçamento da obra 

A partir disso, chega o momento da gestão de recursos financeiros e humanos, como a contratação da mão de obra e a compra do material de construção.  Este passo é muito importante porque, se você não tiver se planejado do jeito certo, talvez o seu objetivo não consiga ir para frente. 

Como a construção da sua casa requer muitos materiais, além da mão de obra especializada, o mais certo a se fazer é contar com a ajuda de um profissional ou de uma empresa para calcular esses gastos. Pode ser um engenheiro ou uma construtora. 

Além disso, é fundamental solicitar um orçamento detalhado de várias empresas ou profissionais diferentes e organizar essas informações em uma mesma planilha. 

Só assim você vai ter como comparar qual orçamento se saiu melhor e se todos eles oferecem as mesmas coisas. 

Lembre ainda de sempre se planejar para uma possível margem de erro no volume de material e não deixe de acompanhar cada etapa do processo e desenvolvimento da obra para evitar gastos desnecessários.

Passo 4 – Aprovação dos projetos com os órgãos competentes

Para que o sonho da casa própria não se transforme em um terrível pesadelo, é indispensável a apresentação e a aprovação dos projetos desenvolvidos com os órgãos responsáveis da sua cidade. O próprio arquiteto ou engenheiro responsável pode ajudar você com isso. 

Esses documentos variam de acordo com as leis de cada município. Mas basicamente o morador vai precisar reunir informações pessoais e do terreno, além dos projetos e memoriais descritivos do imóvel. 

Passo 5 – Projeto complementar para a construção 

Logo após a aprovação de todos os documentos, você vai ter que se preocupar também com as instalações elétrica e hidrossanitárias (água e esgoto) da casa. Mais uma vez, será necessário contratar o serviço de profissionais capacitados para fazer o projeto. 

Caso o escritório de arquitetura escolhido não faça isso, você pode pedir indicações de especialistas. Eles, com certeza, vão conhecer alguém.

Passo 6 – Preparação para construção 

Até agora, você viu muitas informações sobre a etapa pré-obra, em que definimos todos os aspectos relacionados ao planejamento. Podemos chamar a preparação para construção como uma fase de transição. 

Aqui, você afina a comunicação com os trabalhadores sobre os prazos e conversa com os arquitetos para se certificar da documentação. É imprescindível que não haja nenhum impedimento judicial ou pendência que possa atrapalhar seus planos de começar a construir.

Os trabalhadores também começam a limpar e fechar o terreno para obra. Vale lembrar que se a obra for dentro de um condomínio fechado, é necessário pedir autorização para a administração do empreendimento para começar a construir. 

A dica é reunir todos os documentos relacionados à construção para que a análise da obra seja feita o mais rápido possível.

Passo 7 – Terraplanagem, fundação e estruturas 

À essa altura, já estamos no início da construção. Os trabalhadores agora precisam preparar o terreno para ele começar a receber os materiais que vão fazer parte da obra. 

Antes de mais nada, temos a terraplanagem, que vai nivelar o terreno. Esse processo tem a ver com tirar ou colocar terra para deixar o chão no nível correto para a execução do projeto. 

Depois disso, é hora de mexer com as ligações de água e energia. Por enquanto, a preocupação é apenas viabilizar o caminho para depois fazer as instalações.

Mas o ponto forte dessa etapa mesmo é a fundação, pois ela é que vai absorver boa parte da carga da obra. A fundação é tão importante para a construção da sua casa que sem ela a obra simplesmente não ficaria em pé no lugar. 

O solo precisa estar bem firme e ser resistente para não sofrer rupturas ou possíveis deformações. Depois disso, começa o processo de edificação das colunas que vão complementar o nosso próximo passo que é a construção das paredes.

Passo 8 – Construção das paredes 

Nessa fase, o objetivo é fechar as laterais e definir os compartimentos da casa. As paredes são indispensáveis porque, além de protegerem o interior dos ambientes, elas também proporcionam o isolamento térmico e acústico. 

Quando falamos sobre paredes, muitas pessoas pensam logo em tijolos. Mas existem outros tipos de materiais. Dois exemplos bastante interessantes são a parede: 

  • Em drywall, que não utiliza ou usa bem pouco água na obra. A construção é mais limpa e rápida porque as placas já vêm prontas para instalação. Lugares úmidos e externos exigem materiais mais resistentes e o drywall resistente a umidade pode ajudar. 
  • E a parede em divisória de vidro, que traz sofisticação para os ambientes. Entretanto, não são todos os cômodos que aceitam esse material. Os quartos, por exemplo, não conversam muito bem com ela. 

Uma dica é colocá-la em um escritório – porque é um lugar que precisa de muita luz sempre – e na cozinha que também requer mais iluminação.

Passo 9 – Telhados e forros 

A implantação do telhado exige muita atenção porque envolve pequenos processos que, se não forem executados do jeito certo, podem atrapalhar demais a sua vida. Já pensou ficar se preocupando em arrumar baldes em um dia de chuva porque a sua casa está toda alagada? Complicado, não é? 

Mas o que exatamente você precisa observar na construção do telhado? Basicamente, são três pontos: 

  • A estrutura: é o que dá apoio à cobertura. Ela pode ser de madeira, metal, entre outros. 
  • A cobertura: é a proteção que tem objetivo de fazer a vedação. No caso, estamos falando sobre as telhas. 
  • Os condutores: são o escoamento. É por onde a água da chuva vai correr. Ou seja, o foco aqui é nas calhas. 

Preste atenção, principalmente, à maneira como os materiais estão sendo organizados. Veja se há folgas entre as telhas e faça o teste de vedação com o auxílio de uma mangueira.

Passo 10 – Instalações 

É muito importante que ao longo do dia a dia você tenha um acesso fácil à rede elétrica. Por isso, precisamos reforçar alguns pontos: 

  • Deixe o quadro de medição em um lugar que todos os adultos conhecem.
  • Fique atento para o número de tomadas dentro de casa. Se for necessário, converse com os arquitetos para mostrar onde você pretende instalar pias, fogão e geladeira, por exemplo. 
  • Tome cuidado com a potência das tomadas para não prejudicar o funcionamento dos seus equipamentos.

Depois de deixar o sistema de energia 100%, passamos para as instalações hidrossanitárias. Esse processo inclui a instalação de água fria e quente, esgoto;, e água de reuso (se no projeto de arquitetura constar alguma medida sustentável).

Para evitar vazamentos e entupimentos, o encanador precisa ficar de olho (e você também): 

  • Na qualidade dos materiais utilizados;
  • Se esses equipamentos atendem a alguma necessidade específica;
  • Nas normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Em relação às instalações complementares, não tem muito segredo, porque elas são bem mais rápidas de fazer. Como exemplo, as instalações de gás, ar-condicionado, internet e equipamentos de segurança. 

Para fechar com chave de ouro, vamos para os revestimentos. A essa altura, a sua casa está praticamente pronta. O trabalho nessa fase é transformar o imóvel que, hoje, é funcional, em um lugar funcional e bonito. 

São diversos mini processos para ficar atento, como os pisos, as portas e janelas, além das pinturas e texturas.

Passo 11 – Acabamentos 

Agora chegou a hora dos detalhes. Ou seja, você vai ter que, por exemplo, escolher o tipo de piso que mais combina com a sua casa. 

O mais popular, sem dúvidas, é o piso de cerâmica. Mas existem também outros modelos como os de porcelanato, laminado de madeira, tábua corrida e cimento queimado. 

Além disso, avaliar alguns fatores que fazem toda a diferença depois da instalação. Você precisa considerar os melhores materiais (alumínio, madeira e PVC); o ambiente (quarto, cozinha e escritório); e o tamanho certo (sob medida ou tamanho padrão). 

Passo 12 – Limpeza da obra 

Por fim, o momento de arrumar e testar tudo. Foram 11 longas etapas até você chegar aqui e dar de cara com uma casa segura, prática, linda… e suja. Isso porque, ainda vai ser preciso tirar todo o lixo que ficou acumulado. 

Para não correr risco de danificar alguma peça ou ferramenta, a dica é contratar uma empresa especializada em limpeza pós-obra. Ou verificar se a construtora contratada já não oferece esse tipo de serviço no pacote que foi acordado.

Com essas dicas, planejar a construção de uma casa ficou muito mais fácil, não é mesmo?

Mas ainda não acabou. Depois de pronta, sua casa precisa de uma boa decoração. E foi pensando nisso que nós da Projeto Mosaico selecionamos 3 matérias sobre esse assunto para você:

Disqus
Outros Posts